terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Maria Padilha






É bonita, jovem, sedutora, elegante, feminina, mas também tem vidência, é certeira e sempre tem algum conselho para aqueles que estão sofrendo por um amor, mas também é usada a sua força para desmanchar feitiços, para pedir proteção e curar várias doenças.

Mas não se engane, pois ela gosta de ser respeitada e admirada e é ponta de agulha, quem brinca com ela se arrepende.

Sua característica principal é ser uma pombagira festeira adora festas com ritualísticas e alegria daí ser chamada de rainha do candomblé.

Prefere bebidas suaves, vinhos doces, licores, cidra, champagne, anis etc...

Gosta de cigarros e cigarrilhas de boa qualidade, assim como também lhe atrai o luxo, o brilho, destaque, flores e perfumes, usa sempre muitos colares, anéis, brincos, pulseiras etc...

Maria Padilha se divide em muitos outros caminhos, para melhor reverencia-la:

Maria Padilha Rainha dos 7 Cruzeiros da Kalunga

Maria Padilha Rainha das 7 Encruzilhadas

Maria Padilha Rainha dos Infernos

Maria Padilha Rainha das Almas

Maria Padilha das Portas do Cabaré

Maria Padilha Rainha das 7 Navalhas (ou facas)

Maria Padilha Rainha da Figueira

Entre outras....


Dentre muita pesquisa e leitura estou postando esta que é mais uma história de nossos irmãos de trabalho,
Lembrando que essa é a história de uma entidade e não de sua falange como um todo.

Maria Padilha é uma das principais entidades da umbanda e do candomblé traz consigo o dom do encantamento de amor é muito procurada pelas pessoas que sofre de paixões não Correspondidas



Mulheres que trabalham com esta entidade são geralmente belas bonitas atraentes e sensuais são dominadoras e de personalidade muito forte sabem amar como ninguém mas com a mesma facilidade sabem odiar seus parceiros amorosos


Maria Padilha é protetora das prostituta gosta do luxo, adora a lua mas odeia o sol suas roupas são geralmente vermelhas e pretas igualmente seus colares e sua coroa suas cantigas são muito alegres e cheias de magia e segredos E mulher de sete exu rainha dos cabarés e das encruzilhadas suas cantigas geralmente falam de homens



A História da Maria Padilha
Um rei casado com uma princesa, que se apaixonou por uma bela e jovem feiticeira, parece conto de fadas, porém é a história de uma das mais importantes pombas-gira.
Está é a história da rainha Maria Padilha.

Nascida na Espanha Medieval teve o amor do rei Dom Pedro I de Castela, o qual foi chamado de “O CRUEL”, pelo povo espanhol.
Foi amante do rei, Maria de Padilha que era uma jovem muito sedutora.
Viveu entre o ano de 1.300 à 1.400.

Dom Pedro de Castela já estava noivo de Dona Blanca de Borbon, uma jovem pertencente a corte francesa, que foi enviada para Castela para casar-se com Dom Pedro, porque este estava já para assumir o Reinado do pai, no ano 1350.

Dom Pedro I de Castela, não queria casar-se com Dona Blanca de Borbon, mais este casamento traria excelentes benefícios políticos para a corte Espanhola e Portuguesa.
Dom Pedro I de Castela era único filho do rei Afonso XVI com a rainha Dona Maria de Portugal.
Guerreiro cheio de honra e coragem vindo assumir o trono de Castela em 1.350.
A cidade de Andaluzia no sul da Ibéria tornou-se capital do reino unido de Castela.

Maria de Padilha foi viver no reinado de Castela como dama de companhia de D. Maria, mãe de D. Pedro I de Castela (O cruel).

Padilha fez junto a uma árvore, um feitiço de amor, para conquistar o amor de seu rei ela preparou um espelho mágico vindo a fazer com que o rei se olha-se no espelho mágico sem saber que estava sendo enfeitiçado pelo poder do espelho.
O feitiço lançado ao rei pela poderosa Padilha seria eterno.

Através deste feitiço, Dom Pedro se apaixonou por Padilha loucamente.
Maria de Padilha e o Rei de Castela as escondidas começaram um grande caso de amor, onde sabiam que jamais seria aceito pela família e tampouco pela corte.

Maria de Padilha trabalhava na magia com um judeu cabalista e que estes a ensinou muitas magias e através destas... conseguiu dominar o Rei de Castela completamente.
Ele tinha barba branca e usava um capote com desenhos de sinais poderosos da magia negra, com ele ela teria aprendido a arte da Goécia, a Magia Negra.

Dom Pedro fez um castelo em Sevilha a pedido da Padilha, este castelo foi feito em estilo árabe palácio que foi construído e presenteado a Maria de Padilha pelo seu amado rei de Castela.

Então, Padilha passou a ficar como verdadeira rainha de Castela.

Dom Pedro sua vinda ao castelo era secreta.

Padilha mando chamar uma bruxa de Andaluzia a qual era perseguida pela igreja, mas não se tinha provas de sua ligação com o Diabo, a qual fez um trabalho de amarração para Padilha onde o erotismo que uniu os amantes foi como um impulso sagrado.

Em uma igreja havia um relicário onde em seu interior guardava uma relíquia, um cinto que diz ter pertencido a um santo.
Padilha então pensou se este cinto é poderoso, eu vou pegá-lo e assim retirou o velho cinto que estava ali.
A seguir foi até o final da igreja onde havia uma tumba no qual estava sepultado um santo, aproximou-se da tumba, passou o cinto pelo ataúde, guardou-o e saiu.

Pegou um pedaço de chumbo, derreteu, colocou em uma bacia com água e espiou La para dentro, em seguida pegou o chumbo e revirou-o para todos os lados por fim prendeu o chumbo ao cinto e levou o cinto ao seu amigo judeu Cabalista o qual trabalhou com fé e vigor no feitiço.
Terminado a magia mandou que Padilha colocasse esse cinto encantado no lugar onde estava o cinto que Dona Blanca dera ao marido.

Depois Padilha foi ao nicho de São Crispim e orou batendo no peito como a uma penitente e depois esperou o resultado.
Em frente ao bispo o cinto se moveu e transformou-se em uma cobra pronta a picar o rei, o cinto era igual ao que Dona Blanca havia dado ao rei assim Dona Blanca foi abandonada logo após o casamento e foi acusada de bruxaria onde o rei mandou executar a rainha, reafirmando assim o seu poder.

D. Blanca foi decapitada ao mando do Rei, sendo Padilha a grande responsável pela sua execução.
Maria de Padilha de Castela, depois da morte de D. Blanca passou a viver com o Rei em seu castelo em Sevilha.

Maria Padilha morreu antes do Rei de Castela e este fez seu velório e enterro como de uma grande rainha, a causa de sua morte foi por peste negra e foi sepultada nos jardins de seu castelo.

A entidade de Maria Padilha, mais que por castigo de Jesus e por mando do Rei das Encruzilhadas ela ainda permaneceria na terra e confins, comandando a sua falange de mulheres e exus para todos os tipos de trabalhos.. Padilha castigada pelos seus pecados não pode entrar no reino dos céus, poderosa comanda sua falange onde ensina e faz feitiços para atender a quem os invoca seu auxilio.

Dom Pedro dentre muitas mortes que ordenou consta a de seu irmão bastardo Dom Fradique mestre de Santiago de Compostela.
Dom Pedro I de Castela morreu nas terras de Montiel assassinado por outro irmão bastardo, Dom Henrique que o sucedeu no trono.

O corpo do rei deposto foi enterrado a frente da sepultura de sua Amada Rainha Padilha, onde foram construídos duas estátuas uma em frente a outra, para que mesmo na eternidade os amados nunca deixassem de olhar um pelo outro.

Larôie Pombagira





Cantigas ou Kurimbas da Rainha Maria Padilha

Abre essa tumba quero ver tremer

Abre essa tumba quero ver balancear

Maria Padilha das Almas

O cemitério é o seu lugar.

É na Calunga que a Padilha mora

É no barranco que a Padilha vai girar.

Maria Padilha das Almas

O cemitério é o seu lugar

Ela é Maria Padilha

Da sandalinha de pau

Ela trabalha pro bem

Mais ela trabalha pro mal

Oia Pombagiré, oia pombagiré

oia pombagirá....

Com uma rosa e um cigarrilho

Maria Padilha já chegou

E na Kalunga ...

Ela é Rainha...

Ela trabalha com muito amor

Sete Cruzeiros da Kalunga

é a morada dessa Mulher

Ela é!!!...

Maria Padilha

Rainha do Candomblê!!

Maria Padilha

Rainha do Candomblê

Firma kurimba, minha gente

Que tá chegando a Mulher

De onde é que a Maria Padilha vem

Aonde é que Maria Padilha mora

Ela mora na mina de ouro

Onde o galo preto canta

Onde criança não chora

Exu Maria Padilha

Trabalha na Encruzilhada

Toma conta, presta conta...

No romper da madrugada

Pombagira minha Comadre

Firma Fé de noite e dia

É por isso que nós somos

Da sua feitiçaria

O povo dos Infernos é quem vai levar,

Levar o que não presta pro Além Má

Exu Rei da Lira é Lucifer !

Maria Padilha...

Rainha Exu Mulher !!

Maria Padilha é...

Rainha do Candomblê!

Maria Padilha mora

Nas portas de um Cabarê!

Maria, Maria Padilha Ela é...

Uma Mulher faceira

Que trabalha Meia Noite e também

A madrugada inteira

Sete rosas encarnadas

Vou levar prá essa Maria

Para afastar de mim

Toda feitiçaria

Maria, Maria Padilha Ela é...

Caminhou por toda a Terra

Na Kalunga ela ficou

Lá na Encruza ou lá na Rúa

Ela é...

Camarada sua

Maria, Maria Padilha Ela é ...

Quem não me respeitar

Oh! logo se afunda

Eu sou Maria Padilha

dos 7 Cruzeiros da Kalunga

Quem não gosta da Maria Padilha...

Tem, tem que se arrebentar

Ela é formosa, ela é faceira

Oh bela! vem trabalhar

Moço, você conhece aquela moça

Que trabalha no escuro

Olhando osso,

Osso por osso

Dente por dente

Dia trás dia

Hora trás hora...

Ela é Maria Padilha...

Ela é Maria Mulher

Ela trabalha na Figueira

Por ordem de Lucifer.

Maria Padilha já chegou

Trago para Ela uma linda flor

Festa no Terreiro, festa no gongá

Chegou Maria Padilha para todo mal leva

Maria Padilha caminhou..

17 vezes

Maria Padilha trabalhou..

17 vezes

Maria Padilha assobiou..

17 vezes

Caminhou, trabalhou, assobiou 17 vezes




Fontes de pesquisa: http://www.mariapadilha.org, http://www.terreirodeyansa.hpg.ig.com.br,

http://maria7padilha.br.tripod.com/, http://www.pombagiramariapadilha.com.br

2 comentários:

  1. Obrigado pela força e por acreditar em meu trabalho, muito Axé e Paz para voçê

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails